O Estudo do estado do ensino superior e da ciência em França

 
Esse estudo do estado francês do ensino superior e da ciência em França fui publicado em Março de 2014
Etudes, Portugal

Estas informações forma extraídas do estudo do estado do ensino superior e da ciência em França publicadas em Março de 2014

 

Sabe quanto gasta o governo francês, em média, por cada estudante ?

A despesa média por estudante ascende a 11 740€. Este custo é sensivelmente diferente segundo os diferentes cursos de formação : varia entre 10 949 Euros em média por ano por estudante numa universidade pública até 15 020 Euros para um aluno de CPGE (ano de “classe préparatoire). O diferencial explica-se, em grande parte,  pela taxa de enquadramento pedagógico.

 

Qual é a posição de França nos países que mais investem no ensino superior ?

Consagrando 1,5% do seu  PIB em 2010 ao ensino superior, a França situa-se um décimo de ponto acima da média dos países da OCDE (1,6%) e posiciona-se bem atrás dos Estados Unidos (2,8%),e do Canadá (2,7%) e da Coreia do Sul (2,6%).

 

Quantos estudantes estrangeiros estão inscritos no ensino superior francês ?

No inicio do ano escolar de 2012,  2 386 900 estudantes estavam inscritos no ensino superior dos quais 289 300 eram estudantes estrangeiros (o que faz  12,1% de estudantes estrangeiros).

 

São proporcionalmente mais numerosos nos cursos de « Mestrado » (18%) e de Doutoramento (41 %) do que da Licenciatura (11 %). É nas escolas de comércio, nas universidades (cursos gerais e de saúde) e nas escolas de engenharia que o aumento do número dos estudantes estrangeiros é mais acentuado. Desde o inicio dos anos 2000, o ensino superior privado conhece  a mais forte progressão dos seus estudantes efectivos (+ 50% entre 2000 e 2012).

 

Os estudantes estrangeiros têm mais dificuldades a encontrar emprego quando acabam os seus cursos  ?

Depende dos cursos e das áreas. Apesar da crise, alguns cursos têm uma taxa de desemprego particularmente baixa : de 2 a 2,5%  para os titulares de um DUT, de um BTS ou de uma Licenciatura profissional, entre 2 e 4% para as escolas de engenharia ou de comércio ou ainda para os que sejam titulares de um mestrado.

 

Consulte o estudo focalizado sobre a inserção profissional em :

http://publication.enseignementsup-recherche.gouv.fr/eesr/7/EESR7_ES_21-l_insertion_professionnelle_des_diplomes_d_universite_master_dut_lp.php